A Agile Master da Invillia, Talilane De Grandi, esteve presente no Lean Kanban Brazil 2019 e trouxe para nós reflexões super úteis baseadas na fala de David Anderson, pioneiro do Kanban. Veja que usar critérios na hora da tomada de decisão pode ser mais eficiente que seguir práticas à risca.

AGILE DECISION FILTER

“Keynote: Using the KMM as a map to Business Agility”

A palestra de David enfatizou que a adoção do Lean e do Agile precisa ser baseada em valores e sustentada por mudanças culturais. As práticas serão influenciadas por necessidades muito situacionais específicas de cada equipe. As decisões e políticas de gerenciamento precisam dar suporte às propriedades exclusivas da cultura organizacional e selecionadas de maneira a influenciar a cultura organizacional na direção em que precisamos seguir.

Mais tarde na conversa, David Anderson introduziu o conceito chamado Agile Decision Filter, onde devemos nos perguntar se estamos olhando para deterninados critérios ao tomar decisões.

Estamos progredindo com informações imperfeitas; incentivando uma cultura de alta confiança e tratando o trabalho em andamento como um passivo ao invés de um ativo?

Filtro para tomada de decisões

Considerando outras variáveis no dia a dia de um time, a conclusão é que apenas o controle visual do trabalho utilizando um quadro kanban por exemplo não é suficiente para a liderança conseguir criar uma cultura de responsabilidade e confiança, a sugestão foi usar as duas coisas.

Criar esse filtro de decisão enxuta nos ajuda a tomar decisões sobre as diversas práticas ágeis que conhecemos (scrum, kanban). 

  • Value trumps flow: Agilize às custas do fluxo para maximizar o valor, pois o valor supera o fluxo.
  • Flow trumps waste elimination: Aumente o WIP, se necessário, para manter o fluxo, mesmo que haja desperdícios.
  • Eliminate waste to improve efficiency: Do not pursue economy of scale.

Portanto, com base no filtro apresentado por David Anderson, o que podemos deduzir é que, se precisamos iniciar algo novo para manter o fluxo, é isso que devemos fazer – mesmo que seja um desperdício em potencial – já que poderíamos ter focado em terminar alguma coisa.

Uma maneira de diminuir o desperdício de alternância de contexto enquanto mantém o fluxo é usar uma cadência contínua.  Por exemplo, realizar reuniões de refinamento e de especificação ou sessões de planejamento de tasks em atraso regularmente todas as semanas. Isso pode minimizar o impacto da troca de contexto, pois fornece algumas informações para as pessoas, em vez de surpreendê-las e pressioná-las a mudar para outra coisa. (Caso contrário, o restante da equipe ficará ociosa.)

Um dos primeiros passos para realmente vivenciar na prática o Kanban ou o Scrum é começar a pensar em “Stop Starting Start Finishing”. Mas o Agile Decision Filter nos ajuda a aplicar o bom senso necessário a situações do mundo real, onde isso parece estar em conflito com o fluxo efetivo – que é realmente o que estamos buscando.

Por Talilane De Grandi, Agile Leader na Invillia.

Postado em 28/10/2019

Invillia

Artigos relacionados