A Era Digital chegou para todos, isso é um fato já consumado. No entanto, é comum que no contexto organizacional a evolução seja atrelada ao produto/serviço final entregue o cliente, o que é um erro. O mindset para se adaptar à dinâmica do mercado deve fazer parte do cotidiano dos colaboradores e na maneira como eles agem.

Logo, a gestão de pessoas na era digital deve fazer parte da pauta de discussões de qualquer organização que almeja se manter competitiva no mercado. Afinal, o que seria de um negócio sem as pessoas que estão por detrás dele? Além de alinhadas, elas precisam aderir às transformações constantes, realidade em todo o mercado.

Pensando na temática, você já parou para pensar em como fazer uma gestão de qualidade na era digital? Feita de fato para o desenvolvimento profissional? Descubra a resposta no nosso artigo!

A era digital e as mudanças comportamentais

De acordo com pesquisa da McInsey, existem cinco categorias principais pelas quais as empresas devem começar a fim de melhorar suas chances de realizar mudanças digitais em seus negócios: liderança, capacitação, empoderamento de colaboradores, atualização de ferramentas e comunicação. 

De fato, iniciar o processo pelos profissionais é o segredo para o sucesso de um empreitada organizacional. Entretanto, como já mencionado pela própria pesquisa, isso é um desafio, ainda mais diante da era em que vivemos em que as mudanças comportamentais.

Em seu livro Reinventing Organizations, o consultor Frederic Laloux destaca que a humanidade está passando por um momento de grande transformação, que seria o propulsor para o nascimento de um novo formato de gestão.

Para ele, o processo evolutivo da sociedade seria organizado em 5 estágios e, a cada fase, questões como tecnologia, política e economia mudariam. Consequentemente, isso refletiria no processo produtivo, trazendo novidades gerenciais a cada fase.

Apesar disso, o autor encontrou similaridade entre os processos de gestão de setores. Para que eles pudessem acompanhar tal revolução seria necessário estudar os diferentes perfis e as mudanças de comportamento

A reinvenção teria que estar embasada no processo de tomada decisão, mas também na hierarquização dos colaboradores. Aliás, isso estaria também atrelado à necessidade de um processo de identificação de um pensamento mais complexo, como veremos a seguir!

O Management 3.0

A Era Digital trouxe à tona uma tendência para a gestão de pessoas conhecida como Management 3.0. A expressão é usada para identificar um modelo de gestão baseado no pensamento complexo. Ele não foca cargos, mas sim na forma como os indivíduos se comportam. Logo, as empresas são vistas como verdadeiras redes de relacionamento.

De maneira geral, o Management 3.0 veio para redefinir a forma como é feita a liderança, fator interessante quando pensamos no contexto moderno de gestão de pessoas. O modelo se preocupa em engajar as pessoas e torná-las mais felizes no contexto organizacional, o que vem de encontro às teorias de Laloux.

Outro ponto importante é a adoção de metodologias de gestão ágil para ajudar nos desafios profissionais, fazendo com que a equipe obtenha maiores e melhores resultados em um tempo hábil menor.

Quando se trata de gestão de pessoas na era digital, a celeridade de processos passa a ter um peso maior, bem como a satisfação do indivíduo tem um valor enorme o que nos faz chegar nas seis visões que ajudam na atuação participativa, criando um ambiente de trabalho mais satisfatório. Fazem parte dessa lista:

  • energização de pessoas;
  • empoderamento times;
  • alinhamento de restrições;
  • desenvolvimento de competências;
  • crescimento da estrutura;
  • melhoramento de tudo.

A partir desses esforços, teríamos uma organização mais dinâmica e preparada para as situações impostas pelo mercado. Assim, a estrutura permitiria uma rápida adaptação à mudanças. Inclusive, tal dinamicidade deve impactar o desenvolvimento humano, fator primordial de crescimento em qualquer negócio.

O desenvolvimento humano

A evolução na consciência humana no processo de constante modernização nos faz questionar sobre processo de desenvolvimento humano. Assim como já dissemos, a humanidade evolui em fases. Portanto, quando se trata de construir uma estrutura é uma necessidade integrar equipes multidisciplinares que trabalhem de maneira colaborativa, tendo como base o acesso a informações estratégicas.

A liderança tem um papel crucial na mudança desse mindset dentro das organizações, caberá a ela trazer modelos de gestão mais flexíveis e responsivos, adaptados à realidade não só do mercado, mas também às demandas da organização.

Integração de gerações

Quando se trata da evolução é fato que todas as pessoas têm algo a acrescentar. Quando se trata do contexto histórico tendemos a associar os profissionais mais experientes como mentores, mas com o surgimento de novas tecnologias é fundamental que as novas gerações também possam compartilhar seus conhecimentos. 

O desafio da gestão de pessoas é justamente criar um espaço no qual tanto os mais velhos quanto os mais novos possam encontrar um equilíbrio a fim de produzir os melhores resultados. É importante ter essa mudança de mindset dentro das organizações, mostrando que independentemente da geração todos são peças fundamentais na transformação do negócio. 

RH Estratégico

Outra maneira de se adaptar à realidade da era digital é passar por um processo de revitalização estratégica do RH. Além do investimento em softwares e sistemas é fundamental alinhar tais instrumentos à uma cultura organizacional que seja capaz de transparecer aos colaboradores que as mudanças digitais podem ajudá-los no desempenho de suas tarefas. 

Eles devem ser capazes não só de se adaptarem, mas também terem domínio de programas, bem como ser incentivados a passarem por um processo de aprendizado constante. Os gestores devem para isso alinhar os objetivos da organização com o do setor de recursos humanos, mensurar os resultados, com métricas claras e definidas e estabelecer um plano de carreira de acordo com as atividades individuais. 

Foco no mindset

A era digital trouxe à tona uma outra questão: as empresas precisam enxergar a frente do seu tempo e criar esse mindset de diversidade e inovação constante entre os colaboradores. Portanto, é essencial trabalhar a autogestão, fazendo com que os profissionais possam executar suas tarefas com base em um consenso.

Para que funcione de maneira adequada, o processo precisa ser estruturado, interligando um conjunto de práticas que apoiarão o compartilhamento de informações, mas também a tomada de decisão e resolução de conflitos. Só assim as pessoas serão capazes de reconhecer tendências e colocá-las em funcionamento no ambiente organizacional de maneira efetiva.

Para atingir resultados efetivos, uma organização precisa adotar práticas à frente do seu tempo. Especialmente no que diz respeito à gestão de pessoas, as novas tecnologias trouxeram uma alteração comportamental, com uma série de possibilidades, como o acesso a melhores formas de avaliação e a própria possibilidade de estar inserido em um ambiente heterogêneo, com perfis comportamentais distintos que contribuem para esse mindset de adaptação às dinâmicas de mercado.

Se você enfrenta desafios constantes de gestão e quer receber mais insights, não deixe de assinar a nossa newsletter!

Postado em 06/08/2019

Invillia

Artigos relacionados